barra dúvida um
barra dúvida dois
site dúvida
logo musculação
casal fitness
lupa

Enciclopédia do Fisiculturismo

© Copyright

mail barra
Botão Menu

LinkedIn
botão calculadoras
título calculadoras
fecha calc
calculadora bf calculadora tmb calculadora imc

fecha visi

Usuários On-Line

Veja o que estão acessando

 

• não estão excluídos desta relação os acessos feitos por robôs (bots)

• contabilizados os acessos totais nos últimos 30 minutos

128
Veja detalhes

 

Suplemento ZMA® - Estudos sobre o Zinco

 

  • ZMA - Estudos sobre o Zinco

Marcelo Calazans

Elaborado em 20/10/2016

 

RUSSI, MC. Suplemento ZMA® - estudos sobre o zinco. Matérias Musculação, São paulo, out. 2016.

 

Já é bem conhecido que a falta de algumas vitaminas e minerais pode causar problemas à saúde.

 

As vitaminas e minerais fazem parte da nossa alimentação, e são elementos classificados como micronutrientes[1].

 

Historicamente, talvez o caso mais famoso de deficiência de um micronutriente seja o caso da vitamina C. A falta de vitamina C acaba causando um problema de saúde chamado escorbuto.

 

A carência de algum dos micronutrientes que o nosso corpo necessita, pode ocasionar problemas à saúde.

 

O micronutriente que iremos colocar aqui, é o mineral Zinco, e usar isso para explicar a funcionalidade do suplemento ZMA®.

 

A carência do Zinco causa problemas à saúde física, levando a um problema que tem relação com o nosso assunto discutido aqui hoje, que é o hipogonadismo[2].

 

O hipogonadismo pode ser definido por uma deficiência no homem que acarreta em uma baixa produção de testosterona[3].

 

Todas as vitaminas e minerais possuem a sua IDR (ingestão diária recomendada)[4], e se estima que um ser humano que ingere através da alimentação 100% da IDR de todas as vitaminas e minerais recomendadas, não teria nenhum problema de saúde causado por deficiência de vitaminas e minerais.

 

A IDR (ingestão diária recomendada) do Zinco, divulgado pela ANVISA segundo um parecer da OMS (Organização Mundial da Saúde), é de 7 mg por dia[5].

 

Alguns autores trazem uma dosagem de IDR um pouco diferente, e apontam que para adultos, a dosagem seria de 11 mg para homens e 8 mg para mulheres[6]. Mas vamos aqui ficar com a indicação da ANVISA, que é de 7 mg por dia para atingir 100% da IDR.

 

O Zinco faz parte de vários alimentos que ingerimos diariamente, portanto, não seria difícil de se obter 7 mg de Zinco apenas com a alimentação, e um homem que consegue obter isso apenas com a alimentação, não deveria ter problemas de baixa testosterona causada por deficiência de Zinco.

 

Muitos suplementos que contém o Zinco na sua formulação, como o ZMA®, prometem aumentos de testosterona.

 

Como nossa posição aqui nesta matéria não é dizer se um suplemento funciona ou não, vamos agora colocar alguns estudos, para que nossos leitores com os estudos possam definir a sua própria opinião, e decidir se realmente acham que suplementos como o ZMA®, podem ou não oferecer aumentos de testosterona como são anunciados.

 

Um estudo[7] feito com lutadores de elite do sexo masculino, que já eram praticantes da atividade há 6 anos, foram submetidos a suplementação de Zinco por 4 semanas na dosagem de 3 mg por quilo corpóreo por dia, que para um homem de 70 Kg, daria uma ingestão diária de 210 mg de Zinco.

 

A conclusão foi que a diminuição nos níveis de testosterona pós exercício, foi evitada com essa ingestão de 210 mg de Zinco (para um homem de 70 Kg), o que se concluiu neste caso, que a ingestão de Zinco pode ter contribuído para aumentar a performance.

 

Outro estudo[8], este conduzido em ciclistas do sexo masculino, no qual por 4 semanas utilizaram a dose de 30 mg de Zinco por dia.

 

Neste estudo, a conclusão foi um leve aumento na testosterona por parte dos ciclistas que participaram do experimento, pois o Zinco pareceu favorecer as concentrações de testosterona em bons níveis pós exercício, mas esse mesmo benefício de aumento de testosterona, não foi verificado nos atletas em estado de descanso.

 

O estudo então constatou, que o Zinco pode favorecer e retardar o processo de diminuição da testosterona que pode ocorrer pós exercício, mas que não teve resultado de aumentos maiores na testosterona em estado de descanso.

 

Por essas duas amostragens de estudos, podemos dizer que o Zinco favorece a manutenção dos níveis de testosterona pós exercício, evitando quedas na concentração.

 

Outros estudos foram conduzidos em homens normais para ver se a ingestão de Zinco faria aumentar as taxas de testosterona.

 

Um estudo publicado no European Journal of Clinical Nutrition[9], teve a intenção de investigar se a ingestão de Zinco nas dosagens de 11,9 mg a 23,2 mg por dia, poderiam favorecer o aumento da testosterona em 14 homens saudáveis que se exercitavam com regularidade.

 

Como resultado, eles constataram que nenhum aumento de testosterona foi verificado em nenhum dos casos.

 

Mas porque então no início foi dito que o Zinco previne o hipogonadismo?

 

Acho que um último estudo pode ajudar a esclarecer.

 

Este último estudo[10] que vamos apresentar, foi conduzido em pacientes que tinham problemas de infertilidade idiopática já há mais de 5 anos.

 

Eles foram divididos em 2 grupos, um grupo de 22 homens que tinha taxas de testosterona menor que 4,8 ng/ml, e outro grupo de 15 homens que tinha taxas de testosterona maior que 4,8 ng/ml, com isso se constatou, que o grupo que tinha dosagem de testosterona menor, a taxa de testosterona aumentou e a contagem de espermatozoides também, sendo que o mesmo não foi observado no grupo que tinha taxas de testosterona maior.

 

Isso ilustra o que colocamos no início, que é o fato do Zinco ser benéfico para as pessoas que possuem hipogonadismo, mas nada indica que pessoas saudáveis e normais, terão as suas doses de testosterona aumentada se caso ingerirem um suplemento com Zinco.

 

Mas então alguém pode perguntar; e os atletas dos primeiros estudos que tiveram um benefício de inibir quedas de testosterona pós exercício mantendo a testosterona em alta?

 

- Observem que o resultado de um dos estudos, foi obtido com uma dosagem de cerca de 3 mg de Zinco por quilo corpóreo por dia, o que daria 210 mg de Zinco por dia para um homem de 70 Kg, e o outro estudo foi conduzido com doses de 30 mg por dia de Zinco. Essas doses são doses maiores do que a IDR de Zinco apresentada na OMS e recomendada pela ANVISA, que é de 7 mg por dia.

 

Abaixo tem a composição de uma marca famosa de ZMA® vendida no Brasil:

 

ZMA composição

 

Notem que a dosagem é de 10 mg de Zinco, que é uma dosagem menor do que a utilizada nos estudos.

 

Levando em conta que um suplemento desses com apenas 100% de IDR de Zinco custa cerca de R$ 90,00 a R$ 100,00, será que vale o investimento?

 

Não podemos afirmar nem que sim, nem que não, só podemos colocar os dados para que nossos próprios leitores possam criar a sua ideia sobre o assunto.

 

ZMA® é uma marca registrada da SNAC System, Inc. (U.S. Patents 4,764,633 and 5,278,329)

 

Referências:

 

1 - Superimunidade - Joel Fuhrman, 2012.

 

2 - Salgueiro MJ, et al. Zinc as an essencial micronutrient: a review. Nutr Res. 2000; 20(5): 737-55.

 

3 - Segredos Em Endocrinologia - Michael Mcdermott, 2011.

 

4 - A Imagem Certa Para Emagrecer - Howard M. Shapiro, 2004.

 

5 - OMS Organização Mundial da Saúde - Human Vitamin and Mineral Requirements. In: Report 7ª Joint FAO/OMS Expert Consultation. Bangkok, Thailand, 2001.

 

6 - Saúde Total: O plano definitivo para a perda de peso e uma vida saudável - William Davis, 2016.

 

7 - The effect of exhaustion exercise on thyroid hormones and testosterone levels of elite athletes receiving oral zinc - Kilic M, Baltaci AK, Gunay M, Gökbel H, Okudan N, Cicioglu I., 2006 [link] acessado em 19/10/2016.

 

8 - Effect of zinc and selenium supplementation on serum testosterone and plasma lactate in cyclist after an exhaustive exercise bout - Shafiei Neek L, Gaeini AA, Choobineh S., 2011 [link] acessado em 19/10/2016.

 

9 - Serum testosterone and urinary excretion of steroid hormone metabolites after administration of a high-dose zinc supplement - K Koehler, M K Parr, H Geyer, J Mester and W Schänzer, 2007 [link] acessado em 19/10/2016.

 

10 -Effect of zinc administration on plasma testosterone, dihydrotestosterone, and sperm count - Netter A, Hartoma R, Nahoul K, 1981 [link] acessado em 19/10/2016.

 



 

química