barra dúvida um
barra dúvida dois
site dúvida
logo musculação
casal fitness
lupa

Enciclopédia do Fisiculturismo

© Copyright

mail barra
Botão Menu

LinkedIn
botão calculadoras
título calculadoras
fecha calc
calculadora bf calculadora tmb calculadora imc

fecha visi

Usuários On-Line

Veja o que estão acessando

 

• não estão excluídos desta relação os acessos feitos por robôs (bots)

• contabilizados os acessos totais nos últimos 30 minutos

115
Veja detalhes

 

Tudo sobre o M-DROL e os PH's

 

Marcelo Calazans

Elaborado em 25/06/2016

 

Até alguns anos atrás todo anabolizante era fabricado e comercializado oficialmente por empresas farmacêuticas e colocado no mercado para ser vendido como medicamento para tratamentos clínicos, mas uma onda "do mal", contagiou o mercado e tirou isso do seu eixo normal.

 

Essa onda é a tendência de que empresas não farmacêuticas, estariam comercializando anabolizantes e vendendo, e algumas até com a citação de se tratarem de "suplementos". Muitos desavisados acabaram consumindo tais substâncias anabolizantes achando que estavam consumindo um suplemento alimentar, e essas substâncias, que ficaram conhecidas como PH´s, até ganharam o rótulo de "anabolizantes disfarçados".

 

Essa onda se tornou forte com o conhecido M-DROL, que não foi o primeiro, mas da linhagem dos PH´s, como são conhecidos, foi sem dúvida o mais famoso deles.

 

Mas o que seriam de fato tais substâncias?

 

Já comentamos aqui no site em diversas situações, que anabolizantes foram todos originalmente pesquisados, desenvolvidos, produzidos e inicialmente comercializados por empresas farmacêuticas para tratamento clínico, pois são potentes aliados da medicina no tratamento e cura de diversas doenças. Mas o fato é que por terem um poder anabolizante acabaram sendo também de forma off-label, utilizados para favorecer atletas na sua performance física, e para ajudar pessoas praticantes de musculação a obterem melhorias estéticas.

 

Diversas empresas farmacêuticas já há décadas desde os anos de 1930, vem desenvolvendo pesquisas e sintetizando muitos esteroides anabolizantes para finalidade terapêutica no tratamento de doenças, e podemos citar vários, como a nandrolona, estanozolol e muitos outros conhecidos, só que nem todos que foram pesquisados e desenvolvidos por essas empresas farmacêuticas ao longo dos anos, acabaram sendo lançados no mercado como medicamentos e tendo o sucesso que tiveram por exemplo, a nandrolona e o estanozolol.

 

Muitos foram desenvolvidos e acabaram não sendo lançados no mercado como medicamento, ou foram lançados e logo descontinuados na sua fabricação. E é exatamente esse o caso dos PH´s e do M-DROL.

 

Vou exemplificar com o M-DROL que é o mais conhecido.

 

Segundo consta na literatura publicada por William Llewellyn's, em 1959 a empresa farmacêutica Syntex desenvolveu a substância anabolizante drostanolona, que pelo seu potencial antiestrogênico, era para ser utilizada para o tratamento do câncer de mama, visto que na época não existiam os medicamento mais modernos que temos hoje para tratamento do câncer de mama.

 

A Syntex então desenvolveu o Masteron, cujo princípio ativo é o propionato de drostanolona, que era indicado para uso injetável intramuscular, porém a empresa tentou também na época, produzir uma versão oral do medicamento, sintetizando então a substância para uso oral methyldrostanolona. Só que pelo que consta na história, a methyldrostanolona nunca chegou a ser comercializada para uso clínico como medicamento, e a substância acabou caindo no esquecimento por décadas, quando depois de muitos anos acabou ressurgindo com o nome de M-DROL.

 

 

Vários outros casos iguais aconteceram também:

 

O Msten Extreme Mass Builder produzido pela empresa Assault Labs, é a substância methylstenbolone (17a-dimethyl-5a-androsta-1-en-17b-ol-3-one).

 

 

Em 1966 pesquisadores da Searle Laboratories isolaram essa substância para aplicação intramuscular e tratamento clínico, mas não há relato de sua comercialização como medicação para tratamento clínico, e parece ter sido um projeto que posteriormente foi abandonado pela empresa, então a methylstenbolone apareceu anos depois sendo vendido como Msten Extreme Mass Builder.

 

O Pera-Plex, também comercializado com o nome de P-Plex, tinha como composição a substância desoxymethyltestosterone, que foi criada em 1961 por Max Huffman, que na época obteve a patente do composto.

 

 

Relatos indicam que ele nunca foi levado ao mercado como um medicamento comercial para tratamento clínico, e apareceu também anos depois vendido como Pera-Plex.

 

O Epistane é uma versão para uso oral da substância epitiostanol (2a, 3a-Epithio-5a-androstan-17a-ol).

 

 

Ele foi criado em 1960 e usado como um tratamento para câncer de mama por ter também sua ação antiestrogênica, assim como o Masteron.

 

Não foram encontrados por nós referências do seu uso clínico após sua criação em 1960, e parece ter sido abandonado para essa função, e foi ressuscitado anos depois e vendido como Epistane.

 

Portando, para quem tinha a curiosidade de saber como foram criados os famosos PH´s, fica aí a explicação, e lembrando que como anabolizantes que eles são, sempre irão ter os colaterais que todo anabolizante tem.

 

Sobre a falsificação do M-DROL, o que podemos dizer, é que no final do ano passado, nossa equipe de redação tentou entrar em contato com a empresa que produzia o M-DROL, e foi constatado que ele não estaria mais disponível para comercialização nos EUA devido a problemas com a FDA.

 

Os vendedores que fazem a comercialização desse produto aqui no Brasil, dizem que ele é original, pois a empresa produz apenas o produto para exportação, mas não tivemos como confirmar a veracidade dessa informação, portanto, não podemos nem dizer que são falsos e nem originais.

 



 

química