barra dúvida um
barra dúvida dois
site dúvida
logo musculação
casal fitness
lupa

Enciclopédia do Fisiculturismo

© Copyright

mail barra
Botão Menu

LinkedIn
botão calculadoras
título calculadoras
fecha calc
calculadora bf calculadora tmb calculadora imc

fecha visi

Usuários On-Line

Veja o que estão acessando

 

• não estão excluídos desta relação os acessos feitos por robôs (bots)

• contabilizados os acessos totais nos últimos 30 minutos

81
Veja detalhes

 

Medicamento Saxenda™ para obesidade

 

  • Saxenda

Marcelo Calazans

Elaborado em 13/02/2017

 

RUSSI, MC. Medicamento Saxenda™ para obesidade. Matérias Musculação, São paulo, fev. 2017.

 

O ano de 2016 fechou com a ANVISA aprovando medicações novas para o tratamento da obesidade no Brasil.

 

Logo no final do ano, a lorcasserina (Belviq®) foi divulgada como aprovada no Diário Oficial da União - Resolução - RE Nº 3.385, de 15 de dezembro de 2016.

 

Mas no início do ano, a ANVISA no Diário Oficial da União - Resolução - RE Nº 504, de 25 de fevereiro de 2016, já havia liberado a comercialização da liraglutida (Saxenda™).

 

Nós já havíamos no final de 2016 escrito sobre a lorcasserina, e vamos colocar abaixo a matéria da lorcasserina para que nossos colegas possam também acompanhar:

 

Lorcasserina - Novo medicamento no combate a Obesidade

 

Lorcasserina - Novo medicamento no combate a Obesidade

 

A obesidade é definida pela OMS (Organização Mundial da Saúde), como excesso de gordura corporal resultante de um balanço energético positivo[1].

 

A obesidade pode ocasionar diversos problemas, entre eles podemos citar elevação da pressão arterial, colesterol e triglicerídeos aumentados, resistência à insulina podendo levar a uma diabetes tipo 2, riscos de doenças coronarianas, acidente vascular cerebral isquêmico entre outras, tais como, lesões osteoarticulares e dificuldade respiratória[1].

 

Vamos explicar aos nossos colegas o modo de ação da liraglutida.

 

As incretinas são hormônios produzidos no trato gastrointestinal em resposta à ingestão de alimentos[2], entre elas podemos citar o GLP-1 (glucagon-like peptide-1), que é uma incretina hormonal do nosso corpo produzida primariamente no intestino inferior (íleo, cólon / reto)[3].

 

A ação do GLP-1 foi inicialmente muito estudada com foco nos casos de diabetes, pois uma de suas funções no nosso corpo é a de estimular a secreção de insulina e inibir a secreção de glucagon[4,5].

 

Estudos feitos posteriormente, começaram a associar também a ação da GLP-1 na redução da ingestão de alimentos, e através de vários estudos, foi proposto que o GLP-1 tem um papel fisiológico na supressão da ingestão de alimentos[6].

 

A liraglutida (Saxenda™ ) pertence ao grupo de medicamentos denominados "agonistas do receptor de GLP-1", e a sua indicação é a de regularizar o apetite, gerando menor ingestão de alimentos e consequentemente redução do peso[7].

 

A obesidade é medida pela Organização Mundial da Saúde (OMS), através do IMC – índice de massa corporal, e você utilizando nossa calculadora abaixo, poderá calcular o seu:

 

Calculadora de IMC - Índice de Massa Corporal

 

Calculadora de IMC - Índice de Massa Corporal

 

Abaixo temos a tabela de classificação do IMC divulgado pela Organização Mundial da Saúde:

 

IMCCategoria
abaixo de 16,00Magreza Grave
16,00 a 16,99Magreza Moderada
17,00 a 18.49Magreza Leve
18,50 a 24,99Peso ideal
25,00 a 29,99Sobrepeso
30,00 a 34,99Obesidade Grau I
35,00 a 39,99Obesidade Grau II
40,0 e acimaObesidade Grau III

Adapted from WHO 1995, WHO 2000 and WHO 2004 - BMI classification - World Health Organization

 

Temos abaixo também, a informação contida na bula do medicamento Saxenda[7], que cita em quais casos o medicamento deve ser utilizado:

 

"Saxenda™ é indicado em associação a uma dieta hipocalórica e aumento do exercício físico para controle crônico de peso em adultos com índice de massa corporal (IMC) de:

• IMC de 30 Kg/m2 ou mais (obeso – muito acima do peso) ou;

• IMC de 27 Kg/m2 ou mais (sobrepeso) e problemas de saúde relacionados ao peso (como diabetes, pressão arterial elevada ou níveis anormais de gorduras no sangue)."

 

Isso deixa bem claro o fato de que este medicamento não deve ser utilizado por pessoas que não estão acima do peso, e que apenas anseiam por melhorias estéticas, e nem por pessoas que não praticam exercícios físicos e não fazem uma dieta voltada ao objetivo de perda de peso.

 

Nós aqui em nossa ética de informação gostamos de deixar isso bem claro, para que não haja uma corrida desenfreada a medicamentos para obesidade sempre que eles são lançados, pois sabemos que grande parte dos nossos leitores são pessoas voltadas ao fitness e à musculação.

 

Sabemos também, que grande parte dos nossos leitores que são ávidos praticantes de musculação e que buscam através do fitness a boa forma física, já sabem que não existem milagres e atalhos, e sempre o melhor mais correto e sustentável, é buscar a boa forma física através da mudança nos hábitos alimentares aliado a prática de exercícios físicos.

 

Sempre deixamos claro que a automedicação não é uma prática recomendada, e toda medicação tem seus efeitos colaterais, e apenas devem ser utilizadas com a assessoria de um profissional da área de saúde habilitado para isso.

 

Emagrecer de forma sustentável, sempre será emagrecer através de mudanças permanentes nos hábitos alimentares aliada a pratica regular de exercícios físicos, ou seja, uma total mudança no estilo de vida da pessoa.

 

Referências:

 

1 - Segurança Alimentar e Nutricional, Cassiano Oliveira da Silva, Daurea Abadia De-Souza, Grazieli Benedetti Pascoal, Luana Padua Soares, 2015.

 

2 - Cristina Quintanilla-García, Sergio Zúñiga-Guajardo - El efecto incretina y su participación en la diabetes mellitus tipo 2, Rev Med Inst Mex Seguro Soc 2010.

 

3 - Nauck MA, Siemsglüss J, Orskov C, Holst JJ., Release of glucagon-like peptide 1 (GLP-1 [7-36 amide]), gastric inhibitory polypeptide (GIP) and insulin in response to oral glucose after upper and lower intestinal resections, 1996 Mar.

 

4 - HolstJJ,ØrskovAC,SchwartzTW,NielsenOV 1987 Truncated glucagon-like peptide-1, an insulin-releasing hormone from the distal gut. FEBS Lett 211: 169–174.

 

5 - Kreymann B, Ghatei MA, Williams G, Bloom SR 1987 Glucagon-like peptide-1 7–36: a physiologic incretin in man. Lancet ii:1300–1304.

 

6 - Kimberly P. Kinzig, David A. D'Alessio, and Randy J. Seeley, The Diverse Roles of Specific GLP-1 Receptors in the Control of Food Intake and the Response to Visceral Illness, The Journal of Neuroscience, December 1, 2002.

 

7 - Bula do Medicamento Saxenda™ (liraglutida) - Novo Nordisk® - Set/2016.

 



 

química