barra dúvida um
barra dúvida dois
site dúvida
logo musculação
casal fitness
lupa

Enciclopédia do Fisiculturismo

© Copyright

mail barra
Botão Menu

LinkedIn
botão calculadoras
título calculadoras
fecha calc
calculadora bf calculadora tmb calculadora imc

fecha visi

Usuários On-Line

Veja o que estão acessando

 

• não estão excluídos desta relação os acessos feitos por robôs (bots)

• contabilizados os acessos totais nos últimos 30 minutos

71
Veja detalhes

 

Problemas no abuso e uso indiscriminado de Trembolona

 

  • Trembolona Problemas

Marcelo Calazans

Elaborado em 04/07/2016

 

Antes de iniciar, vou até citar fatos que já citei aqui sobre os iniciantes e os anabolizantes. Eu gosto de deixar bem claro que iniciantes na musculação não devem se precipitar e ir logo pensando em usar um anabolizante, e se quiserem ler mais sobre isso, a matéria que trata disso está abaixo:

 

Os Iniciantes e a Ilusão dos Anabolizantes

 

Iniciantes e a Ilusão dos Anabolizantes

 

Dando continuidade aqui, eu acho até absurdo o número de iniciantes que de uns anos para cá vem pensando em utilizar a Trembolona de forma precipitada demais.

 

Eu comecei a acompanhar o assunto sobre esteroides anabolizantes em 2001, e me lembro bem que nessa época a Trembolona ocupava o seu devido lugar dentro do grupo dos anabolizantes na minha opinião, e as pessoas que a utilizavam, era pessoas bem mais experientes ou pessoas que visavam competições em um âmbito mais elevado.

 

Mas de uns anos para cá, um modismo geral sobre a Trembolona aliado a facilidade de obtenção do produto manipulado para aplicação intramuscular, que não havia no início dos anos de 2000, fez um verdadeiro "BOOM" de explosão no uso da Trembolona.

 

Mas o que na verdade seria a Trembolona?

 

A primeira citação da Trembolona foi em 1967, e ela foi estudada como esteroide anabolizante pela empresa farmacêutica Roussel UCLAF[1], uma empresa farmacêutica que foi o primeiro laboratório criado por Gaston Roussel em 1920.

 

A Trembolona hoje é destinada apenas para uso veterinário, mas já houve a comercialização de uma versão para uso humano como medicamento para tratamento clínico com o nome de Parabolan. Mas nunca foi relatada uma aprovação da comercialização de Trembolona para uso humano pela FDA nos EUA[2].

 

Se quiserem saber mais sobre como os anabolizantes foram empregados como medicamentos para tratamento clínico em humanos ao longo dos anos, eu sugiro a matéria abaixo:

 

Todo Anabolizante é um Medicamento

 

Todo Anabolizante é um Medicamento

 

De todos os anabolizantes criados por empresas farmacêuticas para uso clínico no tratamento de doenças que posteriormente ficaram famosos, e que como exemplo podemos citar a oxandrolona e o estanozolol, a Trembolona foi o mais controverso e criticado para tratamento e uso clínico em humanos, e algumas pessoas especulam que isso se deve à forte androgenidade da Trembolona. Temos relatos que algumas fontes citam a sua androgenidade como 5 vezes maior do que a da testosterona.

 

Mas o que seria a androgenidade?

 

A androgenidade é o que carrega as características masculinizantes (Ghaphery ,1995), mas na androgenidade vem também a forma de ação que os anabolizantes tem na sua interação com a nossa química cerebral[3], eles atuam alterando o estado de humor das pessoas, e segundo Corrigan B. em Anabolic steroids and the mind de 1996, essas alterações poderiam causar problemas comportamentais até bem graves.

 

Isso foi durante anos observado por mim em alguns relatos de pessoas que comentam os inconvenientes que a Trembolona pode trazer a nível comportamental, e nas alterações de estado de humor narrado por elas.

 

Mas mesmo assim, com o forte modismo atual de utilização da Trembolona, iniciantes ainda acabam por optar por ela até mesmo em um primeiro ciclo.

 

Já cansei de ver pessoas com corpo a nível de competição que nunca tinham utilizado Trembolona. Porque então um iniciante com 35 cm de braço pensa que precisa dela para obter resultados?

 

Um iniciante muito abaixo do peso que está iniciando sua caminhada dentro da musculação, nem deveria optar por anabolizantes, muito menos optar por um ciclo de Trembolona.

 

Ciclos simples (apenas uma testosterona) e feitos com dedicação podem trazer bons resultados. O que faz um ciclo dar certo é a dedicação no treino, alimentação, descanso e disciplina.

 

Não acreditem em lendas de "usuários de fóruns", que muitas vezes nem se sabe quem são (não se identificam), e que ficam propagando ideias enganosas de que um ciclo para dar certo deve ser superestimado e com altas doses. A maioria das pessoas que partem para um ciclo na verdade nem precisaria fazer uso de anabolizante nenhum, e muito menos usar Trembolona.

 

Outra coisa muito comentada e desagradável da Trembolona, é a sua forte inibição do eixo HPTA que resulta em uma supressão grande da produção natural de testosterona durante o seu uso, o que poderia dificultar o retorno da produção natural de testosterona do usuário pós ciclo. É citado por alguns que isso ocorre devido ao acentuado efeito progestênico da Trembolona, que pode causar forte supressão do eixo HPTA[2].

 

Apesar da Trembolona não ser um c-17 alfa-alquilado (17aa), e não carregar com isso tendência para sobrecarga hepática, ela é a única que não sendo um 17aa acaba mesmo assim citada como potencialmente problemática ao fígado quando usada de forma abusiva[4].

 

Não sei ao certo quem ou o que deflagrou essa onda de modismo de uso indiscriminado da Trembolona, e apesar de até ter uma ideia sobre isso, não vou citar "nomes". Mas o que posso dizer, é que tomem muito cuidado com isso, e também prestem muita atenção ao fato de que não há a necessidade de um iniciante superestimar seus ciclos, pois mesmo utilizando-se de um anabolizante, o que vai reger o caminho do crescimento muscular ainda é a alimentação, treino, disciplina e descanso, e sem isso, não adianta pensar em anabolizante nenhum, pois sozinhos eles não fazem milagres.

 

Referências:

 

1 - J. Mathieu, Proc. Intern. Symp. Drug Res. 1967, p 134. Chem. Inst. Can., Montreal, Canada.

 

2 - William Llewellyn's, Anabolics E-Book Edition 2011.

 

3 - Corrigan B. Anabolic steroids and the mind. Med J Aust 1996.

 

4 - Cholestasis induced by Parabolan successfully treated with the molecular adsorbent recirculating system. Anand JS et al. ASAIO 2006. JanFeb;52(1):117-8.

 



 

química