barra dúvida um
barra dúvida dois
site dúvida
logo musculação
casal fitness
lupa

Enciclopédia do Fisiculturismo

© Copyright

mail barra
Botão Menu

LinkedIn
botão calculadoras
título calculadoras
fecha calc
calculadora bf calculadora tmb calculadora imc

fecha visi

Usuários On-Line

Veja o que estão acessando

 

• não estão excluídos desta relação os acessos feitos por robôs (bots)

• contabilizados os acessos totais nos últimos 30 minutos

16
Veja detalhes

 

A Gordura também queima Calorias

 

  • A Gordura também queima Calorias

Marcelo Calazans

Elaborado em 19/08/2016

 

Apesar de soar estranho aos ouvidos, a frase "gordura também queima calorias" é correta de se afirmar[1].

 

Vamos iniciar explicando o que é TMB (taxa metabólica basal).

 

Todo ser humano apenas para existir, consome calorias. Nossa taxa metabólica basal (TMB) é a taxa de metabolismo e consumo calórico de uma pessoa em estado de descanso, e ela nos dá a quantidade de calorias necessárias para manter o corpo realizando suas funções indispensáveis (como respiração e circulação sanguínea) em nível zero de atividade externa[3].

 

Outra coisa importante para entendermos o que virá a seguir, é saber que os lipídios (gordura) são a forma de armazenamento de todo o excesso de calorias ingeridas na alimentação, e são armazenados na forma de triacilgliceróis, e esses excessos de calorias ingeridas, podem ter sido ingeridos na forma de carboidratos, proteínas, ou o próprio lipídio (gordura).

 

Portanto há uma tendência do corpo de acumular em forma de gordura todas as calorias ingeridas que não tenham sido consumidas pelo corpo. Daí nos surge a ideia de que quanto maior a TMB (taxa metabólica basal), mais fácil seria emagrecer e não se acumular gordura, fato que pode sim ser apontado como verdadeiro.

 

Com isso surge a ideia de que quanto maior a quantidade de massa muscular que uma pessoa venha a ter, seria melhor, pois isso estaria diretamente ligado ao aumento da TMB (taxa metabólica basal), pois os músculos, assim como todos os outros tecidos do corpo, gastam calorias mesmo em estado de descanso.

 

É verdadeiro mesmo se pensar assim, mas com isso vem então outra ideia, de que se eu perder gordura e ganhar massa muscular, "trocando" assim a gordura pela massa muscular, que aquela gordura então que era um "peso morto" inerte, e que não consumia por tanto calorias, vai passar a consumir, pois "troquei" ela por músculos, e meus músculos gastam muito mais calorias do que a gordura que não gastava nada.

 

Mas isso é errado, pois a gordura também gasta calorias e não pode ser considerada um "peso morto" e inerte apenas[1].

 

O efeito metabólico do aumento de massa muscular levando a um consumo maior de calorias pelo corpo e elevando a TMB (taxa metabólica basal), acontece sim, mas acaba de certa forma sendo superestimado até por alguns profissionais da área de saúde. Podemos dizer que geralmente se credita uma diferença exagerada nesse sentido quando se trata de uma pessoa que "trocou" gordura por massa muscular através de exercícios e alimentação equilibrada.

 

As pessoas costumam superestimar o aumento do consumo calórico e da TMB nesses casos, e alguns fazem isso devido ao fato de não compreenderem ao certo qual é o papel do tecido adiposo (gordura) no nosso corpo.

 

O tecido adiposo (gordura) não é apenas um depósito de armazenamento de gordura, pois ele opera como um órgão endócrino funcional liberando as chamadas adipocinas em resposta a estímulos extracelulares ou alterações na condição metabólica[2].

 

Portanto para executar suas tarefas, o tecido adiposo consome também calorias da mesma forma que os outros órgãos do corpo[1].

 

Por isso o aumento do consumo calórico de uma pessoa que "trocou" massa muscular por gordura, não é tão grande como pensam algumas pessoas.

 

Abaixo temos um quadro de um estudo[1] que traz exemplificado o consumo calórico no comparativo do tecido muscular e do tecido adiposo (gordura), informando em kcal/kg por dia.

 

Até 50 anos
Músculo esquelético13 kcal
Tecido adiposo4,5 kcal

 

O estudo também traz o comparativo para pessoas acima dos 50 anos:

 

Acima de 50 anos
Músculo esquelético12,6 kcal
Tecido adiposo4,4 kcal

 

Muitos profissionais educadores físicos, usam para incentivar seus alunos a narrativa de que se eles "trocarem" gordura por músculo, que o consumo calórico deles subiria muito, e que com isso a partir desse momento se tornaria mais fácil, portanto, manter equilibrados os índices de gordura corporal, pois "queimando" então mais calorias com mais músculos, facilitaria não acumular mais gordura futuramente.

 

Esse pensamento pode sim até ser levado em consideração, visto que realmente o tecido muscular gasta mesmo mais calorias que o tecido adiposo (gordura), mas a diferença talvez nem seja assim tão grande a ponto de ter a carga de dramaticidade que eles colocam nisso para incentivarem seus alunos.

 

O segredo de tudo é sempre ter uma rotina de exercícios e uma alimentação planejada.

 

Referências:

 

1 - Specific metabolic rates of major organs and tissues across adulthood: evaluation by mechanistic model of resting energy expenditure, Am J Clin Nutr. 2010 Dec;92(6):1369-77. doi: 10.3945/ajcn.2010.29885. Epub 2010 Oct 20.

 

2 - Robbins patologia básica, V Kumar, Abula Abbas, Jon Aster, 2013.

 

3 - Termodinâmica - 7ed, Yunus A. Çengel, Michael A. Boles, 2013.

 



 

química