barra dúvida um
barra dúvida dois
site dúvida
logo musculação
casal fitness
lupa

Enciclopédia do Fisiculturismo

© Copyright

mail barra
Botão Menu

LinkedIn
botão calculadoras
título calculadoras
fecha calc
calculadora bf calculadora tmb calculadora imc

fecha visi

Usuários On-Line

Veja o que estão acessando

 

• não estão excluídos desta relação os acessos feitos por robôs (bots)

• contabilizados os acessos totais nos últimos 30 minutos

86
Veja detalhes

 

Problemas cardiovasculares causados por esteroides anabolizantes

 

  • Problemas cardiovasculares Esteroides Anabolizantes

Marcelo Calazans

Elaborado em 06/01/2017

 

RUSSI, MC. Problemas cardiovasculares causados por esteroides anabolizantes. Matérias Musculação, São paulo, jan. 2017.

 

Introdução

 

Existem casos de problemas cardiovasculares associados ao uso de esteroides anabolizantes.

 

Esses casos podem se tornar mais frequentes, quando o uso é feito por pessoas que visam melhorias físicas e estéticas com o uso dos esteroides anabolizantes, pois nestes casos, as doses comumente utilizadas, são muito superiores quando comparadas com as doses que são utilizadas na medicina dentro de um tratamento clínico.

 

Vamos aqui citar alguns desses problemas.

 

Coração aumentado

 

O coração humano é um músculo, e como tal possui receptores androgênicos funcionais que respondem aos estímulos dos esteroides anabolizantes[1], incluindo a nossa própria testosterona endógena natural produzida pelo nosso corpo.

 

A hipertrofia cardíaca normal é um processo fisiológico que ocorre naturalmente em várias situações da vida de uma pessoa, e pode ocorrer durante o crescimento natural do indivíduo, e em algumas outras situações, podendo também ocorrer em resposta ao exercício físico[2].

 

A hipertrofia cardíaca normal, que por alguns também é chamada de "hipertrofia fisiológica"[3], não é associada com uma posterior insuficiência cardíaca[2].

 

Mas quando a hipertrofia cardíaca evolui para outros níveis mais danosos, ela pode ser chamada de "hipertrofia patológica", e um exemplo disso, é o que vemos comumente comentado sobre a hipertrofia ventricular esquerda (HVE) e seus problemas.

 

O coração é composto de quatro cavidades internas, contendo: átrio esquerdo (ae), átrio direito (ad), ventrículo esquerdo (ve) e ventrículo direito (vd)[4]. Conforme ilustra a figura abaixo:

 

coração esquema

 

São várias as formas em que a hipertrofia cardíaca pode se manifestar, podendo causar um aumento na espessura da parede ventricular aumentando ou não a massa cardíaca total, podendo também levar a um aumento no volume cardíaco elevando junto o volume da cavidade ventricular[2].

 

A análise visual destas formas todas mostradas em exames de imagens, são de difícil visualização para olhos não treinados, portanto, para facilitar o entendimento dos nossos leitores, vamos apresentar uma animação apenas hipotética da hipertrofia ventricular esquerda.

 

hipertrofia ventricular esquerda

 

O agravamento no quadro da hipertrofia ventricular esquerda (HVE) evoluindo para uma insuficiência cardíaca, parece ter origem multifatorial, mas podemos dizer que a hipertrofia ventricular esquerda é um fator de risco independente para o desenvolvimento da insuficiência cardíaca[2].

 

O abuso de esteroides anabolizantes está relacionado com o risco de espessamento das paredes dos ventrículos esquerdo e direito[5], sendo que a hipertrofia ventricular esquerda mais especificamente, está documentada de forma extensiva em usuários que abusam do uso de esteroides anabolizantes[6].

 

Segundo o renomado William Llewellyn's coloca em seu livro, que é considerado um Best-seller na área de esteroides anabolizantes, o nível de comprometimento cardíaco, está intimamente ligado com a dose e a duração do uso durante o período de abuso na utilização dos esteroides anabolizantes.

 

Dano ao músculo cardíaco

 

Devido à natureza lenta em que as patologias associadas aos danos no músculo cardíaco acontecem, e o nível de relação que isso tem com fatores como: dieta, exercício, estilo de vida e genética, fica difícil de associar o dano ao musculo cardíaco diretamente com o uso de esteroides anabolizantes.

 

Mas os esteroides anabolizantes são suspeitos de produzir danos diretos ao músculo cardíaco em alguns casos.

 

Estudos no qual células cardíacas foram expostas aos esteroides anabolizantes, demostraram uma atividade contrátil reduzida das células, um aumento da fragilidade da célula e menor atividade mitocondrial celular, isso pode fornecer uma possível amostra para demostrar um efeito tóxico direto ao músculo cardíaco[7,8].

 

Relatos da utilização de esteroides anabolizantes, tem demonstrado sinais como fibrose miocárdica, inflamação do miocárdio, esteatose cardíaca e necrose miocárdica[9,10,11,12].

 

Aumento na pressão arterial

 

Usuários de esteroides anabolizantes podem ter a pressão arterial elevada.

 

Estudos conduzidos em fisiculturistas, que fizeram uso de esteroides anabolizantes em doses acima das utilizadas normalmente na medicina clínica, mostraram aumento da pressão arterial sistólica e diastólica[13].

 

Outro estudo[14] foi realizado em duas categorias de atletas levantadores de peso: atletas usuários de esteroides anabolizantes e atletas que nunca chegaram a utilizar.

 

Na medição da pressão arterial dos atletas, os usuários de esteroides anabolizantes apresentaram na média as maiores medições, em torno de 140/85, enquanto os atletas não usuários na comparação, estavam representados em cerca de 125/80.

 

São conhecidos alguns meios de ação que podem levar a isso.

 

Os esteroides anabolizantes estimulam a produção de glóbulos vermelhos no sangue, e os glóbulos vermelhos quando elevados, causam uma disfunção chamada de policitemia[1].

 

A porcentagem de sangue que é constituído de glóbulos vermelhos, é chamado de hematócrito.

 

Uma quantidade aumentada no hematócrito, ou seja, quando a quantidade de glóbulos vermelhos do sangue é muito alta, pode estar associado ao aumento da pressão arterial[15].

 

Mas talvez o mais crítico no processo de aumento na pressão arterial causada por esteroides anabolizantes, seja ainda a retenção de água.

 

Alguns esteroides anabolizantes têm como tendência a retenção de líquidos, e isso pode influenciar diretamente no aumento da pressão arterial[1].

 

Mas devemos lembrar, que o aumento da pressão arterial durante o uso de esteroides anabolizantes, não ocorre unicamente devido a retenção de água, e mesmo ao se utilizar esteroides anabolizantes que não tem como característica a retenção hídrica, o monitoramento da pressão arterial deve ser uma prática constante.

 

Desequilíbrio no HDL e LDL (colesterol)

 

É comum o uso de esteroides anabolizantes estarem associados aos desequilíbrios na relação das lipoproteínas HDL e LDL, e eles implicam em um aumento do LDL e diminuição do HDL[1].

 

Alguns meios de ação podem colaborar para isso.

 

Existe uma enzima produzida no fígado pelos hepatócitos, que se chama lipase hepática, e a sua produção está intimamente ligada com a ação dos esteroides. A ação androgênica estimula a sua produção, enquanto a ação estrogênica suprime a sua produção[16].

 

A lipase hepática tem como função a liberação de lipídios das lipoproteínas (HDL e LDL) por hidrólise de triglicerídeos, desta forma as concentrações de HDL e LDL estão intimamente ligadas às concentrações da lipase hepática. Quando tivermos então maiores concentrações de lipase hepática, teremos a tendência de termos mais LDL e menos HDL[16].

 

Outro fator que se destaca neste ponto, é com relação aos esteroides anabolizantes C-17-alfa alquilado (17aa).

 

Os esteroides anabolizantes orais C-17-alfa alquilado (17aa), foram projetados para serem protegidos durante a passagem pelo trato gastrointestinal[1], e o processo que os tornou um C-17-alfa alquilado (17aa), faz exatamente isso, pois os protege durante a primeira passagem pelo fígado após a sua ingestão[16].

 

Mas esse processo de primeira passagem pelo fígado, acaba por ter uma forte influência na estimulação da lipase hepática, o que faz os esteroides anabolizantes 17aa usados oralmente, influenciarem no desequilíbrio da relação das lipoproteínas HDL e LDL, tendendo a nos deixar com mais LDL e menos HDL[16].

 

Mais detalhes sobre os problemas relativos ao colesterol e os esteroides anabolizantes, podem ser vistos abaixo em uma outra matéria nossa aqui no site:

 

Aumento do Colesterol causado por esteroides anabolizantes

 

Colesterol Anabolizantes

 

Conclusão

 

Os problemas colocados acima devem ser observados com atenção, e lembrando sempre que o abuso de esteroides anabolizantes pode agravar esses colaterais.

 

Todas as colocações acima são importantes, mas na nossa opinião, o problema a curto prazo que merece maior observação e atenção, é o fato da pressão arterial, pois nesses anos todos que acompanhamos o assunto vendo e observando relatos de pessoas usuárias de esteroides anabolizantes, percebemos que quando é feita uma medição da pressão arterial durante o uso, é até comum em alguns casos, a pessoa ter uma medição de pressão alta.

 

Portanto, todo cuidado é pouco, e principalmente para casos em que a pessoa já tinha anteriormente algum problema de pressão arterial elevada.

 

Referências:

 

1 - William Llewellyn's, Anabolics E-Book Edition 2011.

 

2 - José Roberto Matos-Souza, Kleber Gomes Franchini, Wilson Nadruz Junior, Hipertrofia ventricular esquerda: o caminho para a insuficiência cardíaca - Rev Bras Hipertens vol.15(2):71-74, 2008.

 

3 - Dorn GW II, Robbins J, and Sugden PH. Phenotyping hypertrophy: eschew obfuscation. Circ Res 2003;92:1171-5.

 

4 - Biofísica: para ciências biomédicas - Jarbas Rodrigues de Oliveira, 2014.

 

5 - Androgenic anabolic steroids also impair right ventricular function. KasikciogluE et al. Int J Cardiol 2008 Feb 11 E Pub.

 

6 - Cardiac effects of anabolic steroids. Payne J. et al. Heart 2004; 90:473-75.

 

7 - The effects of anabolic-androgenic steroids on primary myocardial cell cultures. Melchert RB et al. Med Sci Sports Exerc 1992; 24:266-12

 

8 - Cardiovascular effects of anabolic-androgenic steroids. Melchert RB et al.Med Sci Sports Exerc 1995;27: 1252-62

 

9 - Cause and manner of death among users of anabolic androgenic steroids, 2000.

 

10 - Anabolic steroid abuse and cardiac death. Kennedy MC et al., 1993.

 

11 - Serious cardiovascular side effects of large doses of anabolic steroids in weight lifters. Nieminen MS et al. Eur Heart J 1996.

 

12 - Sudden cardiac death during anabolic steroid abuse: morphologic and toxicologic findings in two fatal cases of bodybuilders. Fineschi V et al., 2007.

 

13 - Blood pressure and rate pressure product response in males using high-doseanabolic androgenic steroids (AAS). Grace F, Sculthorpe N, Baker J, Davies B, 2003.

 

14 - Are the cardiac effects of anabolic steroid abuse in strength athletes reversible? A Urhausen et al. Heart 2004.

 

15 - Exercício físico e estresse: suas relações com a freqüência cardíaca e pressão arterial, Campos, Tarcila; Correa, Luciana; Curtiss, Luciana; Dammous, Raquel; Lanna, Carolina; MininelL, Ana Camila; Neves, Ádila; Oliveira, Patrícia, 2000.

 

16 - Russi, MC. Aumento do colesterol causado por esteroides anabolizantes. Matérias Musculação, São paulo, dez. 2016. [link] acessado em 06/01/2017.

 



 

química