barra dúvida um
barra dúvida dois
site dúvida
logo musculação
casal fitness
lupa

Enciclopédia do Fisiculturismo

© Copyright

mail barra
Botão Menu

LinkedIn
botão calculadoras
título calculadoras
fecha calc
calculadora bf calculadora tmb calculadora imc

fecha visi

Usuários On-Line

Veja o que estão acessando

 

• não estão excluídos desta relação os acessos feitos por robôs (bots)

• contabilizados os acessos totais nos últimos 30 minutos

47
Veja detalhes

 

Cafeína atrapalha ou não a ação da Creatina

 

  • Creatina Cafeína

Marcelo Calazans

Elaborado em 24/05/2017

 

RUSSI, MC. Cafeína atrapalha ou não a ação da creatina. Matérias Musculação, São paulo, mai. 2017.

 

Há muito tempo que ouvimos falar sobre isso, e alguns colocam de uma forma mais popular, que a Cafeína "corta" o efeito da Creatina.

 

Vamos aqui através da demonstração de estudos, mostrar aos nossos leitores o que dizem na verdade esses estudos sobre essa polêmica.

 

Vamos antes de forma breve, descrever qual o benefício do uso da Creatina e da Cafeína para o praticante de atividades físicas.

 

Cafeína

 

A Cafeína é uma metilxantina que possui efeitos estimulantes[1]. Ela já era conhecida e utilizada em meados dos anos de 1820, mas apenas em 1981 se compreendeu melhor o seu efeito, quando a sua ação foi relacionada com o bloqueio da ação da adenosina no SNC (sistema nervoso central)[2].

 

A Cafeína já foi largamente utilizada na tentativa de melhorar a performance na atividade física[3].

 

Esse fato poderia estar relacionado com o potencial da Cafeína no desacoplamento da atividade ATPase na musculatura esquelética, podendo assim potencializar a liberação de cálcio no retículo sarcoplasmático[4].

 

Outro fato que associa a Cafeína com a melhora da performance física, é a sua citada capacidade em agir diretamente na musculatura esquelética via aumento da transmissão de estímulo neural para a junção neurônio-muscular[5].

 

Isso tudo faz da Cafeína uma aliada bem comum e utilizada para melhorar a performance na atividade física, embora mais estudos ainda podem ser necessários para associa-la de forma mais atuante no aumento da força física e ajuda no ganho de massa muscular[6].

 

Creatina

 

Creatina ou como também pode ser chamada de ácido acético metilguanidina, é uma substância formada por 3 aminoácidos: glicina, arginina e metionina, e ela foi descoberta em 1832 por Michel-Eugène Chevreul[7].

 

Alguns estudos apontam um benefício da Creatina na capacidade de melhorar o rendimento em exercícios de força e potência, além de poder auxiliar na hipertrofia e ganho de massa muscular[8,9,10,11,12].

 

Isso talvez esteja ligado ao potencial da Creatina em agir diretamente no sistema ATP-CP, e ela de forma rápida consegue restaurar com êxito a energia celular através da recuperação do ATP. Fato que faz a Creatina fosfato ser muito eficiente em reagir com o ADP na recuperação da adenosina trifosfato, o que pode favorecer nos dando uma melhor obtenção de energia na hora do exercício, (Greenhaff et al., 1993) sugere que a Creatina pode ajudar a manter os níveis de ATP mais estáveis durante exercícios de esforço máximo[13].

 

Essa é uma das razões que faz alguns associarem a suplementação de Creatina com o aumento de massa muscular e força[8,14,15].

 

Creatina vs Cafeína

 

Tanto no passado como atualmente é bem comum vermos citações de que a Cafeína atrapalha o efeito da Creatina, colocando em dúvida se ambas podem ou não ser utilizadas juntas.

 

Existem realmente estudos que citam que a farmacocinética de ação da Creatina pode ser influenciada pela Cafeína, alterando a forma de ação da Creatina já citada anteriormente[16].

 

Mas um estudo realizado em 2011, conseguiu demostrar que a Cafeína não pôde afetar a ação farmacocinética da Creatina, e isso pelo fato de que a ingestão de Cafeína não conseguiu afetar a excreção de creatinina urinária[6].

 

Nossa Conclusão

 

Apesar do próprio estudo[6] citar que mais revisões serão necessárias para validar o resultado, nós achamos o fato da Cafeína não afetar a excreção de creatinina urinária bem satisfatório.

 

A creatinina é um subproduto da Creatina, ou seja, ela é o resultado do metabolismo celular da Creatina fosfato.

 

No estudo foram testados dois grupos, um grupo utilizando Creatina, e o outro grupo utilizando a Creatina + Cafeína.

 

Em ambos os grupos a excreção da creatinina foi igual, o que sugere que a Cafeína não atrapalhou a farmacocinética da Creatina, pois desta forma, entendemos que a Creatina mesmo na presença da Cafeína, continuou exercendo seu papel no sistema ATP-CP.

 

Outro fato bastante citado, é com relação ao acúmulo de água intracelular que a Creatina causa.

 

Estudos mostram que a Creatina é um agente osmótico, e isso leva a tendência da Creatina arrastar água para dentro da célula enquanto se acumula nela[17,18].

 

É comentado que a Cafeína possui um leve efeito diurético[19], e é por isso que algumas pessoas também comentam que a Cafeína por esse motivo, poderia estar colaborando para diminuir o efeito ergogênico da Creatina[20].

 

Mas outros estudos afirmam que a Cafeína, apesar de possuir um leve efeito diurético, não foi capaz de reduzir a porcentagem de água na massa magra[6,21].

 

Sabemos que muitos suplementos do mercado atualmente são vendidos usando a união de Creatina e Cafeína na sua composição[22].

 

Deixamos assim com tudo apresentado aqui, nossos leitores livres para decidir seu pensamento sobre a viabilidade do uso combinado da Creatina com a Cafeína, embora nós, achemos que é viável sim o uso combinado de Creatina e Cafeína da forma como é vendida em alguns suplementos do mercado.

 

Referências:

 

1 - Rang & Dale Farmacologia Rang Rang, James M. Ritter, Rod J. Flower, Graeme Henderson, 2015.

 

2 - Daly JW – Caffeine analogs: biomedical impact. Cell Mol Life Sci, 2007.

 

3 - Davis JM, Zhao Z, Stock HS, Mehl KA, Buggy J, Hand GA. Central nervous system effects of caffeine and adenosine on fatigue. Am J Physiol Regul Integr Comp Physiol. 2003.

 

4 - Favero TG, Zable AC, Colter D, Abramson JJ. Lactate inhibits Ca2 plus activated Ca2 plus-channel activity from skeletal muscle sarcoplasmic reticulum. J Appl Physiol 1997.

 

5 - Kalmar JM, Cafarelli E. Central fatigue and transcranial magnetic stimulation: effect of caffeine and the confound of peripheral transmission failure. J Neurosci Methods. 2004.

 

6 - The effects of a high dosage of creatine and caffeine supplementation on the lean body mass composition of rats submitted to vertical jumping training, Frederico SC Franco, Neuza MB Costa, Susana A Ferreira, Miguel A Carneiro-Junior, Antônio J Natali, J Int Soc Sports Nutr. 2011; 8:3.

 

7 - Creatina - Melvin H. Willians, Richard B. Kreider, J. David Branch, Editora Manole Ltda, 2000.

 

8 - Hoffman J, Ratamess N, Kang J, Mangine G, Faigenbaum A, Stout J. Effect of creatine supplementation on performance and endocrine responses in strength/power athletes. Int J Sport Nutr Exerc Metab, 2006.

 

9 - Maganaris CN, Maughan RJ. Creatine supplementation enhances maximum voluntary isometric force and endurance capacity in resistance trained men. Acta Physiologica Scandivavica. ,1998.

 

10 - Volek JS, Duncan ND, Mazzeti SA, Staron RS, Putukian M, Gomes AL, Pearson DR, Fink WJ, Kraemer WJ. Performance and muscle fiber adaptations to creatine supplementation and heavy resistance training. Medicine and Science in Sports and Exercise., 1999.

 

11 - Bemben MG, Lamont HS. Creatine supplementation and exercise performance: recent findings. Sports Med , 2005.

 

12 - Willoughby DS, Rosene JM. Effects of oral creatine and resistance training on myogenic regulatory factor expression. Med Sci Sports Exerc, 2003.

 

13 - Russi, MC. Funcionamento da creatina e obtenção de energia. Matérias Musculação, São paulo, mai. 2017.

 

14 - Becque MD, Lochmann JD, Melrose DR. Effects of oral creatine supplementation on muscular strength and body composition. Med Sci Sports Exerc. 2000.

 

15 - Candow DG, Little JP, Chilibeck PD, Abeysekara S, Zello GA, Kazachkov M, Cornish SM, Yu PH. Low-Dose Creatine Combined with Protein during Resistance Training in Older Men. Med Sci Sports Exerc. 2008.

 

16 - Wyss M, Kaddurah-Daouk R. Creatine and creatinine metabolism. Physiol Rev. 2000.

 

17 - Aoki MS, Lima WP, Miyabara EH, Gouveia CH, Moriscot AS. Deleteriuos effects of immobilization upon rat skeletal muscle: role of creatine supplementation. Clin Nutr. 2004.

 

18 - Hultman E, Soderlund K, Timmons JA, Cederblad G, Greenhaff PL. Muscle creatine loading in men. J Appl Physiol. 1996.

 

19 - Del Coso J, Estevez E, Mora-Rodriguez R. Caffeine Effects on Short-Term Performance during Prolonged Exercise in the Heat. Med Sc Sports Exerc. 2008.

 

20 - Easton C, Turner S, Pitsiladis YP. Creatine and glycerol hyperhydration in trained subjects before exercise in the heat. Int J Sport Nutr Exerc Metab. 2007.

 

21 - Vanakoski J, Kosunen V, Meririnne E, Seppala T. Creatine and caffeine in anaerobic and aerobic exercise: effects on physical performance and pharmacokinetic considerations. Int J Clin Pharmacol Ther. 1998.

 

22 - Russi, MC. Pré-treino power jack nox pump. Matérias Musculação, São paulo, out. 2016.

 



 

química