barra dúvida um
barra dúvida dois
site dúvida
logo musculação
casal fitness
lupa

Enciclopédia do Fisiculturismo

© Copyright

mail barra
Botão Menu

LinkedIn
botão calculadoras
título calculadoras
fecha calc
calculadora bf calculadora tmb calculadora imc

fecha visi

Usuários On-Line

Veja o que estão acessando

 

• não estão excluídos desta relação os acessos feitos por robôs (bots)

• contabilizados os acessos totais nos últimos 30 minutos

35
Veja detalhes

 

O que é Andropausa a prevenção e a musculação

 

  • Andropausa

Marcelo Calazans

Elaborado em 23/08/2017

 

RUSSI, MC. O que é andropausa a prevenção e a musculação. Matérias Musculação, São paulo, ago. 2017.

 

A palavra Andropausa deriva-se do grego, "andras" significa macho humano e "pausa" leva a ideia de parada.

 

Andropausa, ou hipogonadismo de início tardio, é uma fase da vida do homem que se caracteriza pela diminuição na ação da testosterona, que geralmente começa ocorrer a partir dos 40 anos de idade[1].

 

Na mulher acontece algo parecido e bem conhecido, e no caso feminino, a menopausa pode ser descrita como um período na vida da mulher em que a sua capacidade reprodutiva é interrompida. Os ovários param de funcionar e a produção de esteroides e outros hormônios diminuem[2].

 

No caso masculino a Andropausa se caracteriza como uma redução gradual do hormônio sexual masculino (testosterona) que ocorre com o aumento da idade[3].

 

Ao contrário do que acontece no caso feminino com a menopausa, na Andropausa as diminuições hormonais são gradativas, e muitos homens que já experimentaram declínios nos níveis de testosterona, ainda não manifestaram os sintomas clínicos[4].

 

Os sintomas no caso masculino podem incluir disfunção sexual, fraqueza, fadiga, insônia, perda de motivação, distúrbios do humor e redução na densidade óssea[3].

 

A testosterona no homem é responsável pela libido, massa e força muscular[5].

 

Na criação da massa muscular devemos destacar o papel anabólico da testosterona na musculatura esquelética do homem[6].

 

Outras funções no corpo masculino também são afetadas pela testosterona, e podemos colocar sua importância no estado geral de humor masculino e na preservação da massa óssea[7].

 

Podemos dizer então, que níveis normais de testosterona nos homens contribui para a manutenção da saúde[7].

 

Quando os níveis de testosterona decaem nos homens com o passar da idade, alguns homens começam a manifestar sintomas desconfortáveis.

 

Algumas pessoas relacionam muito a testosterona com a vida sexual do homem, e isso pode ser compreendido como uma verdade, mas a importância da testosterona para o homem vai muito além disso, pois ela serve para garantir um quadro geral favorável na disposição física e metal, bem como um estado de humor estável. Quedas na concentração de testosterona podem levar a falta de motivação e depressão nos homens.

 

Um estudo[8], realizado em um clínica para tratamentos androgênicos masculinos, determinou que distúrbios depressivos foram encontrados em aproximadamente 42% de seus pacientes na Andropausa, o que enfatiza a necessidade de detectar problemas de humor relacionados à Andropausa entre os homens.

 

Mas devemos ter cuidado em apontar alguns sintomas da Andropausa, pois alguns deles podem ser inespecíficos.

 

Muitas outras coisas podem levar a problemas de libido e ereção, bem como quadros de depressão e falta de motivação nos homens. Quadros emocionais podem estar intimamente ligados a esses sintomas, portanto pode ser precoce o diagnóstico da Andropausa como consequência em todos esses casos.

 

Procurar ajuda médica é essencial para se chegar a uma conclusão do diagnóstico, pois o médico de posse dos exames que apontam as dosagens de testosterona e de outros marcadores, e tendo conhecimento dos sintomas apresentados pelo paciente, poderá elaborar um quadro mais concreto sobre a existência ou não de sintomas desta espécie em uma Andropausa.

 

Um dos sintomas mais facilmente visualizados na Andropausa, pode ser a sarcopenia.

 

A sarcopenia se caracteriza pela perda de massa muscular relacionada com a idade, e isso está se tornando mais frequente a medida que a expectativa de vida do homem aumenta na maioria das populações[9].

 

Uma das causas da sarcopenia em homens de idade avançada é o decréscimo nas concentrações de testosterona[9], que pode ocorrer justamente na Andropausa.

 

Em homens jovens saudáveis a massa muscular esquelética pode representar cerca de 60% da massa corporal total. A partir dos 40 anos, essa porcentagem começa a cair, podendo chegar em torno de 40% aos 70 anos de idade[10].

 

Neste ponto entra em cena um forte aliado nosso, que são os exercícios resistidos como a musculação, e este ponto vai de encontro ao interesse dos nossos leitores praticantes de musculação.

 

O dano que a sarcopenia causa na musculatura esquelética do idoso, pode ocorrer tanto no tamanho das fibras musculares individuais como em sua quantidade, afetando principalmente fibras musculares do tipo II[11].

 

A inatividade física pode ser considerada como um fator agravante na perda de massa muscular que ocorre nos idosos[12].

 

Já existe uma correlação dos exercícios resistidos (musculação) com melhora no quadro da sarcopenia, e isso pode ser uma ferramenta viável para se tentar retardar a perda de massa muscular que pode ocorrer em decorrência da idade[13,14].

 

A musculação, portanto, é uma atividade que pode melhorar a qualidade de vida do homem, tendo impacto positivo na idade avançada provendo um padrão físico mais estável e sustentado para as pessoas que chegam a idade avançada.

 

Um outro fator que podemos considerar favorável com relação a musculação ajudando na Andropausa, é o conhecido potencial que a prática de alguns exercícios de musculação possuem em propiciar aumento nas concentrações de testosterona[15].

 

O declínio nas concentrações de testosterona no homem culminando em uma Andropausa, é algo que naturalmente não podemos impedir, mas existem algumas práticas como a musculação, que podem atenuar seu impacto trazendo uma melhor qualidade de vida ao homem na idade avançada.

 

Referências:

 

1 - Asadollahi, Abdolrahim, Laleh Fani Saberi, and Nasrin Faraji. "Validity and Reliability of Male Andropause Symptoms Self-Assessment Questionnaire among Elderly Males in Khuzestan Province of Iran." Journal of Mid-Life Health 4.4 (2013): 233–237. PMC. Web. 23 Aug. 2017.

 

2 - Corpos e subjetividades em exercício interdisciplinar, Marlene Neves Strey, Sonia T. Lisboa Cabeda, 2004.

 

3 - Sofimajidpour, Heshmatollah, Taher Teimoori, and Fardin Gharibi. "The Effect of Testosterone on Men With Andropause." Iranian Red Crescent Medical Journal 17.12 (2015): e19406. PMC. Web. 21 Aug. 2017.

 

4 - Nandy, PR et al. "Male Andropause?: A Myth or Reality." Medical Journal, Armed Forces India 64.3 (2008): 244–249. PMC. Web. 21 Aug. 2017.

 

5 - Compêndio de Psiquiatria - 11ed: Ciência do Comportamento e Psiquiatria Clínica, Benjamin J. Sadock, Virginia A. Sadock, Pedro Ruiz, 2016.

 

6 - Treinamento de Força para o Desempenho Humano, T. Jeff Chandler, Lee E. Brown, 2009.

 

7 - Saúde Integral do Homem, Josué Gonçalves, 2017.

 

8 - Sato Y, Tanda H, Kato S, et al. Prevalence of major depressive disorder in self-referred patients in a late onset hypogonadism clinic. Int J Impot Res. 2007;19:407–410.

 

9 - Basualto-Alarcón, Carla et al. "Sarcopenia and Androgens: A Link between Pathology and Treatment." Frontiers in Endocrinology 5 (2014): 217. PMC. Web. 22 Aug. 2017.

 

10 - Lexell J, Henriksson-Larsen K, Winblad B, Sjostrom M. Distribution of different fiber types in human skeletal muscles: effects of aging studied in whole muscle cross sections. Muscle Nerve (1983) 6:588–95.10.1002/mus.880060809.

 

11 - Silva, Tatiana Alves de Araújo; Frisoli Júnior, Alberto; Pinheiro, Marcelo Medeiros; Szejnfeld, Vera Lúcia. Sarcopenia associada ao envelhecimento: aspectos etiológicos e opções terapêuticas. Revista Brasileira de Reumatologia. São Paulo, v. 46, n. 6, p. 391-397, nov./dez., 2006.

 

12 - Exercício físico resistido: um fator modificável na sarcopenia em idosos, Juliana de Ávila Panisset, Adson Ferreira da Rocha, Sandor Bálsamo, Rafael Sousa, Elioenai Dornelles Alves , Iraci Guimarães, Estud. interdiscipl. envelhec., Porto Alegre, v. 17, n. 2, p. 293-304, 2012.

 

13 - Resistance exercises in the prevention of Sarcopenia in elderly, Joicy Maikely Batista Pereira, 2015.

 

14 - Exercício resistido frente à sarcopenia: uma alternativa eficaz para a qualidade de vida do idoso, Ronan Martins Cardoso, João Rezende da Costa Neto, Leonardo Paul Ribeiro de Freitas, Maria Paula Pereira Ferreira, EFDeportes.com, Revista Digital. Buenos Aires - Año 17 - Nº 169 - Junio de 2012.

 

15 - Fundamentos do Treinamento de Força Muscular - Steven J. Fleck, William J. Kraemer, 2017.

 



 

química